Texturas nos ambientes
por Lívia Tavares

Em tempos de pandemia muitas pessoas puderam perceber ainda mais a importância que o toque tem em nossas vidas. Não poder estar mais em contato com nossos familiares, amigos e colegas de trabalho abalou praticamente o mundo inteiro. 


O Design já vinha trabalhando em prol da tatilidade, que é como exploramos o tato e o contato com o ambiente que nos cerca, e te convido á entender o porquê dessa necessidade tão intrínseca até para o nosso bem estar e para as relações humanas, afinal, dividimos nossa casa ou ambiente de trabalho com pessoas.


O neurocientista Paul MacLean (1913-2007) defendeu a tese de que nosso cérebro é triuno e que é do nosso cérebro mais primitivo, o retptiliano, a função essencial de sobrevivência. Á ele está ligada diretamente a medula espinhal, toda a extensão nervosa do corpo que nos proporciona os movimentos e o tato. Percebe a importância disso?


Agora pode ser que esteja se perguntando o que o Design de Interiores tem a ver com isso? Tem muito porque um mix equilibrado de texturas, cores e formas em um ambiente, aguçará suas necessidades cerebrais, seus sentidos, emoções e até suas memórias. Mas, é preciso frisar que para cada indivíduo, família ou público, no caso de empresas e comércio,  essa informação / textura precisa ser usada de forma personalizada, senão acontece o efeito contrário de criar o espaço com o objetivo principal do trabalho do Designer que busca agradar quem vá ocupar o local.



Vamos ver nos moodboards abaixo ilustrações de materiais que podemos utilizar para explorar nosso tato.






Objetos e materiais Castellato, Elo7, Berneck, Portinari e Westwing 




Essa composição de objetos vai muito além da estética do espaço. Tem a ver com história das pessoas, tanto a história passada quanto á que ela quer construir. Estar em um ambiente personalizado, gera uma satisfação tão grande que interfere na qualidade de vida.





Objetos e materiais Westwing, Leroy Merlin, Berneck e Google




Pra finalizar, vamos um pouco além. Pode ser que você gostou ou que não tenha se identificado com as imagens acima. São apenas alguns exemplos e não há nada de errado com o gostar ou não. É importante entendermos que o ambiente que você e/ou sua família vive, onde seus clientes são recebidos precisa e pode proporcionar prazer, conforto no seu dia á dia, e isso acontece porque mexe com o eu, com o ser de cada um, com a individualidade e com uma vida mais saudável e feliz.

Eu acredito muito na importância do que vai entrar nos ambientes, e pra mim como Designer de Interiores,  construir um lugar que fará parte da história das pessoas é muito relevante.



Lívia Tavares